Sobre   Contato Usuário : Não conectado
Ultima Atualização : 26/02/2012 Data : 18 de Abril de 2014  
Maze
 Tópicos
» Umbanda
» Candomblé
» Egrégora
» Mediunidade
» Espiritismo
» Entidades
» Cabala
» Sonhos
» Filmes
» Livros
» Orações
» Downloads
» Glossário
» Mapa do Site
» Religiões Afro Brasileiras
 Dicionários
» Kicongo
» Kimbundu
» Yoruba
» Pesquisar
» Vocábulos
 Conhecimento
» Catimbó
» G.F.B.
» Jurema
» Maçonaria
» Símbolos
» Vale Amanhecer
» Xamanismo
» Horoscopo Chinês
 Seitas
» Cátaros
» Essênios
» Kimbanda
 Gnose
» Hermetismo
» Agnosticismo
» Atlântida
» Gnose
» Magos Negros
» Raças Raízes
» Thelema
 Divinatória
» Geomancia
» Runas
» Tarot
 Esotérico
» Chacras
» Karma
» Kundalini
» Kundalini Invertida
» Mantra
 Outras Religiões
» Mitraísmo
» Budismo
» Hinduísmo
» Zoroastrismo



Quimbanda

Seita religiosa brasileira de origem africana. No Brasil, tomou o significado de magia negra, em oposição à umbanda, que representa as forças da magia branca. Na estrutura interna, a quimbanda e a umbanda são muito parecidas, sendo que a quimbanda conservou o aspecto mais original da religião africana e voltou-se mais para os mitos de terror dos folclores pagão e ameríndio. A quimbanda também não procurou adaptar-se à mitologia do catolicismo, como o candomblé. A natureza específica da quimbanda é muito ambígua, pois há casos de prática de quimbanda em terreiros de umbanda, por pequenos grupos.

A Quimbanda, também conhecida pelos leigos como macumba, é uma ramificação da umbanda que pratica a magia negra. Embora cultuem os mesmos Orixás e as mesmas entidades, se sirvam das mesmas indumentárias, e tenham em seus terreiros semelhanças muito marcantes tais como a presença de gongá repleto de imagens dos santos católicos simbolizando os orixás, caboclos e pretos velhos, existem entre as duas religiões diferenças fundamentais e decisivas. Uma delas é que na Quimbanda são realizados despachos com animais como galos e galinhas pretas por exemplo, pólvora, objetos da pessoa a quem se quer prejudicar, dentes, unhas ou cabelo de pessoas ou animais. Estes despachos costumam-se realizar à meia-noite em locais como encruzilhadas e cemitérios.

Outra prática bastante freqüente que também se encontra presente no vodu haitiano sob o nome de paket é o envultamento.Este, diz respeito à construção de um boneco de pano ou qualquer outro material, desde que pertencente à pessoa a quem quer se prejudicar, e a seguir alfinetes ou pregos são utilizados para transpassar o corpo da imagem. Os quimbandeiros têm como ponto principal de seu culto a invocação de Exus que na Quimbanda são considerados espíritos das trevas, uns já em estado de evolução, e outros, denominados quiumbas, espíritos atrasadíssimos e que por isso também são chamados obsessores.

A Quimbanda nunca deve ser confundida com a KIUMBANDA (magia negra), pois está presente na Umbanda desde a sua fundação pelo médium Zélio Fernandino de Morais já que o mesmo admitiu Exú como guia por ordens de seus guias.

A Quimbanda é onde atuam os Exús e Pomba-Giras (também chamados de "Povo de Rua", eles fazem uso de forças negativas (isso não significa malignas), muitas vezes estão presentes em lugares onde possa ter Kiumbas (obsessores-seres malignos), em portas de templos religiosos de qualquer espécie, cemitérios , encruzilhadas, ruas e estradas.

Os Exús são os responsáveis pela segurança das pessoas, eles te ajudam a se protegem te espíritos obsessores, mas você também tem que ajudar evitando desequilíbrio emocional, excesso de bebidas alcólicas e etc.

Ao contrário do que muitos pensam na Quimbanda não é feito entregas (oferendas) com animais, sangue ou qualquer coisa do gênero, já que ao ser feita uma entrega com carne ou sangue a oferenda é cercada por kiumbas. Uma entrega para um Exú contém farofa de milho, cebola e pimenta (basicamente), podendo conter outras ervas e temperos e alguma bebida que geralmente é cachaça, uísque ou conhaque.

A umbanda se divide numa linha da direita, voltada para a prática do bem e que trata com entidades "desenvolvidas", e numa linha da "esquerda", a parte que pode trabalhar para o "mal", também chamada quimbanda, e cujas divindades, "atrasadas" ou demoníacas, sincretizam-se com aquelas do inferno católico ou delas são tributárias. Esta divisão, contudo, pode ser meramente formal, como uma orientação classificatória estritamente ritual e com frouxa importância ética. Na prática, não há quimbanda sem umbanda nem quimbandeiro sem umbandista, pois são duas faces de uma mesma concepção religiosa. Reginaldo Prandi (1996, p.3)

Linhas da Quimbanda

Assim como há as sete linhas que regem e organizam as forças existentes dentro da Umbanda, dentro da Quimbanda o mesmo acontece e processa, pois como se sabe, " tudo que há em cima, há em baixo." Tendo esta Lei para se começar a entender o por que da existência das sete linhas da Umbanda e da Quimbanda, encontraremos meios de compreensão que estas linhas, estão em lados opostos e harmoniosamente equilibradas, permitindo desta maneira o equilíbrio perfeito resultante dos movimentos dos opostos, perpetuando pela quebra e restauração deste equilíbrio o movimento perpétuo e necessário para a existência em sua concepção maior.

As linhas da Quimbanda, assim como as linhas da Umbanda, são em numero de sete. Vejamos :

Linha Malei

Chefe - Exu Rei, é composta por 7 falanges, cada qual com seu chefe, e seus sete respectivos subordinados. Os componentes desta linhas são os componentes do Alto Comando do Povo de Exu, por este motivo é entendida como a linha que opera e comanda todas as decisões dentro do reino. Esta linha funciona com um alto conselho, uma alta cúpula que rege e administra o reino de Exu, seus componentes de apresentam sempre com roupagem de cor escura, cobertos por uma luz vermelha e sem brilho. Componentes da Linha Malei:

  1. Exu Rei das Sete Encruzilhadas
  2. Exu Marabô
  3. Exu Mangueira
  4. Exu Tranca Ruas das Almas
  5. Exu Tiriri
  6. Exu Veludo
  7. Exu dos Rios ou Campinas

Polo Passivo

Pomba Gira - Pomba Gira Rainha das Sete Encruzilhadas

Linha das Almas

Chefe - Omulu, encontra-se nesta linha espíritos vulgarmente conhecidos como omulus, e isto se deve pelo fato de estarem este espíritos sob a égide de Omulu, tanto no Organograma, quanto diretamente subordinados a ele em sua linha, outro fato que vem elucidar o fato pelo qual estes espíritos são conhecidos pelo denominativo supra citado, é que estes tem por morada os cemitérios, onde também são realizadas suas entregas,são espíritos que se apresentam cobertos de pêlos, unhas em forma de garras, chifres e rosto semelhante à lobos e com olhos vermelhos. São os componentes desta linhas:

  1. Exu Mirim
  2. Exu Pimenta
  3. Exu 7 Montanhas
  4. Exu Ganga
  5. Exu Kaminaloá
  6. Exu Malê
  7. Exu Quirombô

Polo Passivo

Pomba Gira - Pomba Gira das Almas

Linha do Cemitério ou dos Caveiras

Chefe - Exu Caveira, tendo sob sua responsabilidade as ações dos espíritos vulgarmente conhecidos como caveiras, sendo suas manifestações, não para todos estes elementos, na forma de esqueletos. Há sim, alguns destes espíritos que se apresentam e manifestam-se como esqueletos, porém não todos. O fato que outorgou-lhes o denominativo de caveiras é o simples fato de que estes espíritos trabalham e respondem obediência a Exu Caveira, também e pelo fato de que estes espíritos trabalham, e recebem suas oferendas dentro dos cemitérios. São os componentes desta linha:

  1. Exu Tatá Caveira
  2. Exu Brasa
  3. Exu Pemba
  4. Exu do Lodo
  5. Exu Carangola
  6. Exu Arranca Toco
  7. Exu Pagão

Polo Passivo

Pomba Gira - Pomba Gira Rainha dos Cemitérios

Linha Nagô

Chefe - Exu Gererê, os espíritos que são os componentes desta linha são exímios entendidos na pratica da magia, seja astral, seja natural ou qualquer outra forma ou modalidade a eles requisitados. Sua atuação principal é dentro da magia vodu, muito conhecida a nível superficialissímo, sendo esta modalidade da magia, ensinada a pouquíssimos iniciados, haja vista sua complexidade, sua extrema e perigosíssima eficiência, que em mãos erradas podem resultam grandes e as vezes irreversíveis conseqüências, tanto ao operador quanto a infeliz vítima. Quero deixar claro que a magia vodu pode ser amplamente requisitada e usada para fins maléficos, na qual obtém resultados rápidos e por demais eficientes, contudo a magia vodu também, e deveria assim ser, utilizada para fins benéficos e virtuosos. Os espíritos que se apresentam dentro desta linha são denominados vulgarmente de "Gangas". Este fato é existente pelo pouco conhecimento que se tem que o chefe desta linha é Exu Gererê, ou seja é ele um Exu pouco conhecido, apresenta-se sempre com uma armadura, carregando um tridente e uma espada, porém confundido com Exu Ganga, que por sua vez, é por demais conhecido dentro das giras Umbandistas e Quimbandistas, e é este Exu, elemento desta forte e perigosa linha da Quimbanda. São os elementos desta linha:

  1. Exu Quebra Galho
  2. Exu 7 Cruzes
  3. Exu Gira Mundo
  4. Exu dos Cemitérios
  5. Exu da Capa Preta
  6. Exu Curador
  7. Exu Ganga

Polo Passivo

Pomba Gira- Pomba Gira Maria Padilha

Linha de Mossorubi

Chefe - Kaminaloá, os espíritos que se apresentam dentro desta linha possuem um especialidade real para os males de origem espiritual que por ventura venham causar perturbações dentro da mente do ser humano. São os elementos desta linha exímios conhecedores da mente humana e por esta razão são evocados para realizarem os mais diverso tipos de trabalhos onde se necessite o tratamento mental ou desenvolvimento mental para se conseguir os objetivos do operador. São os elementos que compõe esta linha:

  1. Exu dos Ventos
  2. Exu dos Morcego
  3. Exu 7 Portas
  4. Exu Tranca Tudo
  5. Exu Marabá
  6. Exu 7 Sombras
  7. Exu Calunga

Polo Passivo

Pomba Gira - Pomba Gira Maria Molambo

Linha dos Caboclos Quimbandeiros

Chefe - Exu Pantera Negra, conhecido por este nome devido à sua enorme coragem e força para vencer demandas e realizar os mais terríveis trabalhos de magia, além de ter o poder de curar até doenças tidas como incuráveis, também possui o poder de enriquecer quem a ele recorrer, esta linha possui este denominativo não é atoa, pois os espíritos que compõe esta linha se apresentam como se fossem caboclos, índios americanos enfim, tendo especialidade em trabalhos de cura e desobsidiação, além de favorecerem as riquezas materias e tesouros, são exímios guerreiros, a maioria delas pertencem a antiga tribo Sherokee dos E.U.A. Assim como ocorre em todas as linhas, é esta composta por sete falanges, cada uma com seu respectivo chefe, que por sua vez comanda outras sete legiões, onde se divide novamente em sete falanges, novamente, cada falange com sete chefes e assim sucessivamente até certo limite. São os elementos desta linha:

  1. Exu 7 Cachoeiras
  2. Exu Tronqueira
  3. Exu 7 Poeiras
  4. Exu da Matas
  5. Exu 7 Pedras
  6. Exu do Cheiro
  7. Exu Pedra Negra

Polo Passivo

Pomba Gira - Pomba Gira da Figueira

Linha Mista

Chefe - Exu dos Rios ou Campinas. Possui este denominativo, pelo fato de que os espíritos que compõe esta linha não são Exus, mas sim Kiumbas, ou seja, espíritos desencarnados, espíritos de mortos, que servem a Exu. Estes espíritos se encontram nestas condições por fatores que não correspondem ao assunto proposto por esta página. Estes espíritos que trabalham dentro desta linha são os responsáveis pelas obsidiações ou obsessões, excitando várias doenças que por serem causadas a nível espiritual, não são diagnosticadas pelos médicos encarnados, o que torna estas doenças impossíveis de serem curadas pelos métodos da ciência profana. Chegam a causar loucura, estados mentais de perturbações diversas. Mas aqui vai um lembrete: Os Agentes Mágicos são em verdade forças cegas, e assim sendo cabe ao operador direcioná-la da maneira melhor possível, tendo em mente sempre a infalível Lei do Retorno. Sendo esta Linha composta por Kiumbas, é esta apenas regida pelo Exu dos Rios ou Campinas, tendo como polo passivo da linha, Pomba Gira, ou seja todas as Pomba Giras.

Relações existentes entre as Linhas da Quimbanda e Umbanda

Uma vez se entendendo que há uma perfeita harmonia entre as ações dos elementos que compõe as linhas da Quimbanda e da Umbanda, cada elemento destes há um paralelo, um elo de ligação entre a Umbanda e a Quimbanda.

Vejamos entre as Linhas primeiramente:

UmbandaQuimbanda
Linha de OxaláLinha Malei
Linha de OgumLinha do Cemitério
Linha de OxóssiLinha dos Caboclos Quimbandeiros
Linha de XangôLinha de Mossorubi
Linha de YorimáLinha da Almas
Linha de IbêjiLinha Mista
Linha de YemanjáLinha Nagô

A Quimbanda é uma dimensão oposta a umbanda. Todos os elementos das luzes têm o equivalente negativo no mundo das trevas. As sete linhas da Umbanda representam as sete linhas da Quimbanda comandadas por exus.

UmbandaQuimbanda
Linha de OxaláExu 7 encruzilhadas
Linha de IemanjáExu Pomba-Gira
Linha de OgumExu Tranca-Ruas
Linha de XangôExu Gira-Mundo
Linha de OxossiExu Marabô
Linha das criançasExu Tiriri
Linha de Preto velhosPinga-Fogo

Ritual

O principal ritual da Quimbanda consiste na invocação de espíritos. Sessões, que na Umbanda são Giras de crianças, caboclos [as], pretos e pretas velhos, na Quimbanda são Giras de exus. Os quimbandeiros trabalham exclusivamente com estas entidades que pertencem ao domínio astral daquele primeiro Exu criado por Nzambi na origem do Universo manifestado.

Na Quimbanda, assim como na Umbanda e no Candomblé, não se admite a possibilidade de comunicação direta entre Deus e os homens. Somente os espíritos invocados pelos Tatás, Babás, Ngangas, enfim, sacerdotes/xamãs, somente esses espíritos podem intermediar o contato entre o físico e o metafísico, o visível e o invisível. Assim, todo sacerdote Quimbanda é um medium que incorpora Exus, os executores dos trabalhos que interferem na realidade, na vida das pessoas, seja para o bem ou para o mal.

Exu na Lei da KIMBANDA - Angola

A Lei da KIMBANDA vem dos bantos, dos povos Angola-Congo. A “misturança”, ou ainda podemos dizer “sincretismo” entre o Exu-iorubá, os Ngangas e Tatás (almas de chefes kimbandeiros das nações bantas) foi o que deixou esse ar de confusão no povo, que muitos até mesmo sendo "feitos na KIMBANDA", não entendem, ou o que é pior, tratam-no de diabo. Na verdade, o Exu da KIMBANDA não é o Exu-Iorubá (Orixá ou Imalé dessa cultura). Os Espíritos que chegam na linha da KIMBANDA são espíritos de Ngangas ou Tatás, aqueles que quando encarnados na terra eram sacerdotes bantos adoradores de algum Nkisi ou Npungu.

No Brasil, o culto aos Npungus e Nkisis através dos seus mensageiros – os Ngangas - foi misturado na escravidão com o culto aos Encantados e aos pajés (da cultura tupi-guarani) e também com o dos Iorubás, surgindo os seguintes novos cultos, fruto da miscelânea: Makumba - que vem de "ma-kiumba" (espíritos da noite). Foi assim chamado o mais primitivo culto sincretista no sul do Brasil (e o primeiro originado no Brasil), dada sua maior preponderância banto; é dela que descendem os outros cultos afro-brasileiros com influência das nações Angola-Congo, Tupi-guarani, Nagô e a Igreja, nessa ordem. A razão de se chamar makiumba (logo após por deturpação da palavra ficaria makumba ou macumba) foi justamente, porque é um culto que se faz na noite, onde se deveriam chamar necessariamente os espíritos da noite (almas de outros sacerdotes do culto - Eguns ou Ancestrais). No culto iorubano-nagô conhece-se e rende-se culto aos Ancestrais-Egun, porém eles são afastados dos rituais aos Orixás, tentando ter um contato com outro tipo de energia. Isto contribuiu para que os rituais onde se chamavam os eguns fossem menosprezados, tratados pejorativamente e mal interpretados.

Por outro lado, a Igreja também condenava os cultos com influência índio-banto onde se fazia beberagem e supostamente “orgias”.

Na verdade, as danças bantús eram no Brasil e ainda são na África, bastante eróticas, e também é verdade que os Guias bebem e fumam, porém é muito distante de ser uma orgia ou uma bebedeira. Depois, quando os grupos de nações começaram a procurar sua identidade, dividiram-se os principais componentes da makumba, aparecendo: Candomblé de Angola; Candomblé de Congo; Candomblé de Caboclo ou dos Encantados; Catimbó; - todos eles à procura de uma raiz cultural - e também, ao final do século XIX surgem da macumba urbana, (onde se tinha muita participação dos brancos pobres e os descendentes de escravos) a Umbanda e a KIMBANDA com influências para o Espiritismo e com muito sincretismo. Na KIMBANDA, permaneceu grande parte do culto aos Ngangas da nação Angola-Congo, porém misturado com o diabo (pelas influências dos mitos e tabus dos próprios integrantes - que não tinham conhecimento das origens) e também embaixo do pé do Orixá Iorubá Exu.

HIERARQUIA INFERNAL

 

REINOS DE EXU NA KIMBANDA

A KIMBANDA tem sete reinos, sendo sua organização remanescente das organizações tribais em reinos na África Banto. Cada Reino é composto por nove povos de Exu, sendo que cada povo é comandado por um Exu-Chefe.

POVOS DE EXU NA KIMBANDA

Em cada reino existem 9 povos, sendo um total de 63 povos de Exu. A seguir oferecemos uma lista com os povos que pertencem a cada reino:

Reino das Encruzilhadas
Chefiado por Exu Rei das Sete Encruzilhadas e Pombagira Rainha das Sete Encruzilhadas, governa todas as passagens dos Exus que ali trabalham. Sua função principal é abrir os caminhos para os outros Guias chegarem e também para os filhos e fregueses.
Povo da Encruzilhada da RuaChefe Exu Tranca-Ruas
Povo da Encruzilhada da LiraChefe Exu Sete Encruzilhadas
Povo da Encruzilhada da LombaChefe Exu das Almas
Povo da Encruzilhada dos TrilhosChefe Exu Marabô
Povo da Encruzilhada da MataChefe Exu Tiriri
Povo da Encruzilhada da KalungaChefe Exu Veludo
Povo da Encruzilhada da PraçaChefe Exu Morcego
Povo da Encruzilhada do EspaçoChefe Exu Sete Gargalhadas
Povo da Encruzilhada da PraiaChefe Exu Mirim
Reino dos Cruzeiros
Chefiado pelo Exu Rei dos Sete Cruzeiros e Pombagira Rainha dos Sete Cruzeiros, governa todas as passagens dos Exus que trabalham nos cruzeiros (não confundir com encruzilhada).
Povo do Cruzeiro da RuaChefe Exu Tranca Tudo
Povo do Cruzeiro da PrazaChefe Exu Kirombó
Povo do Cruzeiro da LiraChefe Exu Sete Cruzeiros
Povo do Cruzeiro da MataChefe Exu Mangueira
Povo do Cruzeiro da KalungaChefe Exu Kaminaloá
Povo do Cruzeiro das AlmasChefe Exu Sete Cruzes
Povo do Cruzeiro do EspaçoChefe Exu 7 Portas
Povo do Cruzeiro da PraiaChefe Exu Meia Noite
Povo do Cruzeiro do MarChefe Exu Kalunga (Kalunga grande)
Reino das Matas
Chefiado pelo Exu Rei das Matas e Pombagira Rainha das Matas. Governa todos os Exus que trabalham nas matas ou locais que tenham árvores a exceção do Cemitério, que pertence a outro reino.
Povo das ÁrvoresChefe Exu Quebra Galho
Povo dos ParquesChefe Exu das Sombras
Povo da Mata da PraiaChefe Exu das Matas
Povo das CampinasChefe Exu das Campinas
Povo das SerraniasChefe Exu da Serra Negra
Povo das MinasChefe Exu Sete Pedras
Povo das CobrasChefe Exu Sete Cobras
Povo das FloresChefe Exu do Cheiro
Povo da SementeiraChefe Exu Arranca Tôco
Reino da Kalunga
Chefiado pelo Exu Rei das Sete Calungas ou Kalungas e Pombagira Rainha das Sete Kalungas. Esses Exus também são chamados pelo nome de Rei e Rainha dos Cemitérios. Geralmente quando se diz "calunga" nas giras de KIMBANDA é para nomear ao cemitério. Trabalham neste reino todos os Exu que moram dentro dos cemitérios exclusivamente.
Povo das Portas da KalungaChefe Exu Porteira
Povo das TumbasChefe Exu Sete Tumbas
Povo das CatacumbasChefe Exu Sete Catacumbas
Povo dos FornosChefe Exu da Brasa
Povo das CaveirasChefe Exu Caveira
Povo da Mata da KalungaChefe Exu Kalunga (conhecido também como Exu dos Cemitérios)
Povo da Lomba da KalungaChefe Exu Corcunda
Povo das CovasChefe Exu Sete Covas
Povo das Mirongas e TrevasChefe Exu Capa Preta (conhecido também como Exu Mironga)
Reino das Almas
Chefiado por Exu Rei das Almas Omulu e Pombagira Rainha das Almas. Eles também são conhecidos por Rei e Rainha da Lomba, porque governam todos os Exus que trabalham em locais altos. Porém, os Exus deste reino também trabalham em hospitais, morgues, etc.
Povo das Almas da LombaChefe Exu 7 Lombas
Povo das Almas do CativeiroChefe Exu Pemba
Povo das Almas do VelórioChefe Exu Marabá
Povo das Almas dos HospitaisChefe Exu Curadô
Povo das Almas da PraiaChefe Exu Giramundo
Povo das Almas das Igrejas e TemplosChefe Exu Nove Luzes
Povo das Almas do MatoChefe Exu 7 Montanhas
Povo das Almas da KalungaChefe Exu Tatá Caveira
Povo das Almas do OrienteChefe Exu 7 Poeiras
Reino da Lira
Os chefes deste reino são muito mais conhecidos por seus nomes sincréticos: Exu Lúcifer e Maria Padilha, sendo na verdade seus nomes kimbandeiros Exu Rei das Sete Liras e Rainha do Candomblé (ou Rainha das Marias). Seus apelidos kimbandeiros mostram justamente sua afinidade pela dança, a música e a arte (lira e candomblé). Dentro do reino da Lira, que também às vezes é chamado "reino do candomblé" não pelo culto africanista aos orixás, senão por ser essa palavra o sinônimo de dança e música ritual. Trabalham aqui todos os Exus que tem que ver com a arte, a música, poesia, boemia, artes ciganas, malandragem, etc.
Povo dos InfernosChefiado por Exu dos Infernos
Povo dos CabarésChefiado por Exu do Cabaré
Povo da LiraChefiado por Exu Sete Liras
Povo dos CiganosChefiado por Exu Cigano
Povo do OrienteChefiado por Exu Pagão
Povo dos MalandrosChefiado por Exu Zé Pelintra
Povo do LixoChefiado por Exu Ganga
Povo do LuarChefiado por Exu Malé
Povo do ComércioChefiado por Exu Chama Dinheiro
Reino da Praia
Chefiado pelo Exu Rei da Praia e Rainha da Praia. Dentro dele encontram-se todos os Exus que trabalham nas praias, perto d'agua o ainda dentro dela, podendo ser salgada ou doce.
Povo dos RiosChefiado por Exu dos Rios
Povo das CachoeirasChefiado por Exu das Cachoeiras
Povo da PedreiraChefiado por Exu da Pedra Preta
Povo do MarinheirosChefiado por Exu Marinheiro
Povo do MarChefiado por Exu Maré
Povo do LodoChefiado por Exu do Lodo
Povo dos BahianosChefiado por Exu Bahiano
Povo dos VentosChefiado por Exu dos Ventos
Povo da IlhaChefiado por Exu do Côco

Pomba Gira

Chamada de Pombagira, Bombogira, Exu-mulher ou ainda Bomobonjira é conhecida a Entidade feminina da KIMBANDA. Esta forma de chamar para Ela é sem dúvida pela influência banta (Angola). A Entidade banta Aluvaiá-Pombagira foi então submetida à Entidade iorubana Exu, sendo colocada como sua mulher.

Na KIMBANDA, devemos dizer que a Pombagira representa o poder feminino feiticeiro, comparável com as Iyami Oxorongá dos iorubás. Ela pode ter muitos maridos, que tornam-se seus "escravos" ou empregados. Na concepção da KIMBANDA, todas as Entidades são duplas, é dizer, cada uma delas pode se apresentar em baixo da aparência de homem ou mulher. Por seu lado, os Exu-homens podem ter muitas mulheres, as quais passam a ser suas escravas ou empregadas. É muito comum usar o número 7 (sete) para dizer quantas mulheres ou homens pode ter uma Entidade, isso é assim, por ser um numero cabalístico e mágico.

Cada Exu-homem da KIMBANDA tem sua parte feminina ou contrapartida, que na verdade são a mesma Energia em baixo de aparências distintas, temos assim:

  • Exu Rei das Encruzilhadas / Pombagira Rainha das Encruzilhadas;
  • Exu das Matas / Pombagiras das Matas;
  • Exu Giramundo / Pombagira Giramundo;
  • Exu do Cravo Vermelho / Pombagira da Rosa Vermelha;
  • Exu Mulambo / Pombagira Maria Mulambo;
  • Exu Sete Capas / Pombagira Sete Saias;
  • Exu 7 Estrelas / Pombagira 7 Estrelas; etc.

Cada pessoa tem pelo menos um par de Exus que age e mora perto dela desde o dia do nascimento. Que um homem tenha como Guia uma Pombagira (que incorpore nele) não quer dizer que ele vai se tornar homossexual, ou vai mudar seu gosto pelas mulheres, como muitos pensam; nada disso, ele vai seguir sendo o mesmo homem de sempre. O mesmo é para as mulheres que tiverem um Exu. Isso é para os casos onde se puxa somente uma das duas Entidades da KIMBANDA que possui cada um como mínimo, pois existem muitas casas onde são puxadas as dois (Exu-homem e Pombagira), sendo que tampouco eles vão influir na definição sexual da pessoa. O que acontece é que muitos se aproveitam para colocar as culpas em Exu. Pode acontecer também que alguma pessoa tenha duas pombagiras e dois exus, um par de exus que estava submetido aos espíritos evangelizados e que logo após foi liberada, e uma parelha de exus que se apresentou sem estar sob o comando da umbanda.

Quando incorporada no cavalo, a pombagira mostra-se quase sempre bonita, feminina, amável, elegante, sedutora, mais também tem vidência, é certeira e sempre tem algum conselho para aqueles que estão sofrendo por um amor. Ela gosta das bebidas suaves : vinhos doces, licores, cidra, champagne, anis, etc. E gosta dos cigarros e cigarrilhas de boa qualidade, assim como também lhe atrai o luxo, o brilho e o destaque. Usa sempre muitos colares, anéis, brincos, pulseiras, etc. Sendo que existem milhares de pombagiras, e que cada uma tem sua própria pessoalidade, e torna-se muito difícil uma descrição geral.

Suas oferendas levam ovos, maçãs, morangos, perfumes, pentes, espelhos, flores (especialmente rosas - nunca botões), bebidas, cigarros, etc.

As principais pombagiras em ordem hierárquica são as correspondentes às sete passagens da representação feminina de Exu Rei, Pombagira Rainha, após temos 63 pombagiras chefas, sendo cada uma delas a contrapartida de algum dos Exu chefes que já apresentamos na parte onde falamos dos povos de Exu.

As funções principais de Pombagira são as de ajudar os seus em todos os casos de amor, mas também é usada a sua força para desmanchar feitiços, para pedir proteção e curar várias doenças.

GENERALIDADES DE ALGUNS EXUS

Deixamos claro que quando falamos de alma encarnação de um determinado Exu, isso não indica que faz alusão a todos os que se apresentam com este nome, sendo que se trata de um caso específico sobre o qual estamos falando. Os Exus que chegan aos médiuns são pessoais, portanto, suas vivências e encarnações são únicas. Devem sim, ter algo em comum com a falange da qual representam e também possuir uma base sólida.

Temos constatado que muitas narrativas baseadas em dados por algum Exu pessoal têm se estendido e se generalizado para todos os que chegam com este nome em outros médiuns, o que é um erro.

- Outros Exus -
Exu AngolaQue pertence ao povo das Almas do Cativeiro
Exu Cobra PretaPertence ao povo das Cobras que trabalha dentro do Reino das Matas
Exu Come-FogoRonda nas cercanias dos crematórios e pertence ao povo do forno
Exu Coquinho dos InfernosQue integra o grupo do Povo dos Infernos (dentro do Reino da Lira)
Exu da EstradaQue trabalha nas rotas e estradas (povo do Cruzeiro da Rua)
Exu da LamaTem a incumbência onde há incêndios e faz parte do Povo do Forno
Exu DalvaPertence ao Povo do Cruzeiro do Espaço. Gosta de trabalhar quando está amanhecendo e recebe as oferendas em terrenos abertos
Exu do ArTrabalha sob o comando de Exu dos Ventos
Exu FormigaPertence ao Povo das Campinas, mora perto dos formigueiros onde procura um de seus alimentos prediletos: as formigas
Exu GatoPrefere trabalhar nas encruzilhadas dos montes
Exu GererêTrabalha dentro do mar, pertence ao povo dos pescadores, de fato, seu nome significa “red” em linguagem banto
Exu Hora-GrandeOutro tipo de nome que se usa para referir-se a Exu Meia-Noite
Exu KolobôQue trabalha nos cemitérios e ataca condolências, pertence ao povo das mirongas
Exu LaluTrabalha nas encruzilhadas da praia sob as ordens de Exu Mirim
Exu Limpa-TrilhosTrabalha nas vias de trem abrindo os caminhos, pertence ao povo da Encruzilhada de Trilhos e seu chefe direto é o Exu Marabô
Exu MangueVive nos mangues
Exu do Pantanalpertence ao povo do Lodo
Exu Pinga-FogoQue pertence ao povo dos Fornos ou do Fogo (povo do fogo material)
Exu RelâmpagoTrabalha no povo da Encruzilhada do Espaço (pontos cardinais), sob as ordens de Seu Sete Gargalhadas
Exu Sete HorasQue pertence ao povo do Cruzeiro do Espaço
Exu Tira-TôcoTrabalha nos montes de Eucaliptos a beiradas do mar. Pertence ao povo da mata da praia
Exu Tranca-GiraTrabalha nos cruzeiros sob as ordens de Exu Tranca Tudo
Pombagira da TerraTrabalha nos cemitérios
Pombagira RosáriaTrabalha nos mercados e feiras
Pombagira Sete FolhasPertence ao povo das árvores e trabalha na entrada dos montes

OFERECEMOS TAMBÉM A SEGUINTE LISTA:

  • Exu Aleba
  • Exu Apavenã
  • Exu Banzé
  • Exu Bara
  • Exu Bauru
  • Exu Boca de Fogo
  • Exu Caçamba
  • Exu Candô
  • Exu Casamenteiro
  • Exu Chico Preto
  • Exu da Figueira
  • Exu da Guiné
  • Exu da Laranjeira
  • Exu da Limeira
  • Exu do Congo
  • Exu do Mar
  • Exu Espeto
  • Exu Folha Seca
  • Exu Gibóia
  • Exu João Caveira
  • Exu João da Bahia
  • Exu João das Almas
  • Exu João Kalunga
  • Exu João Mandinga
  • Exu João Mironga
  • Exu João Pepeu
  • Exu Laborê
  • Exu Loá
  • Exu Lofe
  • Exu Lonã
  • Exu Madeiro
  • Exu Maiô
  • Exu Mareiro
  • Exu Maromba
  • Exu Marujo
  • Exu Matança
  • Exu Miloá
  • Exu Mirô
  • Exu Olho Grande
  • Exu Panteira
  • Exu Pedra roxa
  • Exu Pena de Coruja
  • Exu Pena de Urubu
  • Exu Pena Preta
  • Exu Pimenta
  • Exu Rebolo
  • Exu Serapião
  • Exu Sete Baforadas
  • Exu Sete Dias
  • Exu Sete Facas
  • Exu Sete Montes
  • Exu Sete Pregos
  • Exu Tata Ndaí
  • Exu Tatalá
  • Exu Tatu
  • Exu Tibiri
  • Exu Tira-Teima
  • Exu Toquinho
  • Exu Treme Terra
  • Exu Três Encruzilhadas da Perdição
  • Exu Três Penas
  • Exu Tronco
  • Exu Tronqueira
  • Exu Trovoada
  • Exu Tuniquinho
  • Pombagira Akiesan
  • Pombagira Aruá
  • Pombagira Carangola
  • Pombagira da Lomba
  • Pombagira das Cachoeiras
  • Pombagira das Cobras
  • Pombagira das Flores
  • Pombagira de Belém
  • Pombagira de Maceió
  • Pombagira de Mafia (da Ilha de Mafia na África)
  • Pombagira de Pemba (da Ilha de Pemba naÁfrica)
  • Pombagira Detê
  • Pombagira do Bananal
  • Pombagira do Jardim
  • Pombagira do Luar
  • Pombagira do Oriente
  • Pombagira do Rio
  • Pombagira do Sol e da Lua
  • Pombagira Ganzá
  • Pombagira Kirombô
  • Pombagira Maleva
  • Pombagira Maria Alagoana (de Alagoas)
  • Pombagira Maria Bahiana (da Bahia)
  • Pombagira Maria Colodina
  • Pombagira Maria da Praia
  • Pombagira Maria das Almas
  • Pombagira Maria de Minas (de Minas)
  • Pombagira Maria Farrapos
  • Pombagira Maria Lixeira
  • Pombagira Maria Mulambo
  • Pombagira Maria Navalha
  • Pombagira Maria Quitéria
  • Pombagira Maria Rosa
  • Pombagira Maria Tunica
  • Pombagira Moça Bonita
  • Pombagira Mundana
  • Pombagira Rosa Amarela
  • Pombagira Rosa Caveira
  • Pombagira Rosa Preta
  • Pombagira Rosa Roxa
  • Pombagira Rosinha
  • Pombagira Sete Chocalhos
  • Pombagira Sete Cores
  • Pombagira Sete Estrelas
  • Pombagira Sete Maridos
  • Pombagira Sete Ondas
  • Pombagira Sete Saias

Referências

  • ORTIZ, R.; A Morte Branca do Feiticeiro Negro: Umbanda, integração de uma religião numa sociedade de classes; Petrópolis: Vozes, 1978
  • PRANDI, R.; Mitologia dos Orixás; São Paulo: Cia das Letras, 2001
Visitas
3149992