Sobre   Contato Usuário : Não conectado
Ultima Atualização : 26/02/2012 Data : 1 de Outubro de 2014  
Maze

Pontos Cantados

Dentro da ritualística de Umbanda, os pontos cantados são indispensáveis. São verdadeiras preces cantadas, que expressam a fé, a mística, a magia da ritualística de Umbanda. Mas hoje em dia, infelizmente, existe muita adulteração. Antigamente - e mesmo hoje, em raros templos de Umbanda - nossos mentores os ensinavam, cantando-os durante as giras. Quando uma Entidade Espiritual (Caboclo, Pai-Velho, etc.) ensina um ponto cantado, dizemos que o mesmo é de raiz.

Origem

Pontos de Raiz: são aqueles ditados pelas entidades, que os trazem dos Planos Superiores onde habitam, fazendo dele sua chamada particular ou da falange que integra. Ativam uma linguagem espiritual referente aos sons que o ponto emite, estabelecendo uma conexão vibratória entre o plano físico e o plano espiritual. Tais pontos de forma nenhuma devem ser alterados, já que são direcionados e estabelecidos pela entidade ou falange para fins específicos.

Pontos Terrenos: São os pontos criados pelos encarnados para homenagear o Orixá, uma falange ou determinada entidade, sendo aceitos pelos Guias e Entidades desde que providos de razão e bom senso. Às vezes, porém, nos deparamos com pontos criados pelos encarnados que nos causam verdadeiro espanto, quando não tristeza. São composições "sem pé nem cabeça", destituídas de fundamento, com frases ingênuas e sem nenhum nexo, chegando algumas a denegrirem os reais valores umbandistas.

Execução

A corrente espiritual de um terreiro, ou seja, os guias, os protetores, esperam que todos entendam que os pontos cantados em verdade são o roteiro vibratório da gira. É o caminho vibratório por onde uma gira vai encaminhar-se. Pontos cantados adequados e harmonicamente cantados tornarão a gira tranquila, proveitosa e organizada, dando-se o contrário quando os pontos cantados forem inadequados e inabilmente entoados. Os "verdadeiros" pontos despertam a fé, a harmonia, o bom ânimo, o ajuste, etc.

Jamais os pontos cantados devem ser "gritados", entoados a plenos pulmões, ferindo a sensibilidade astral de quem a tenha e mesmo de quem não a tenha. Pontos cantados altos, gritados, ativam o ardor guerreiro, atávico, fetichista, atraindo esta classe de correntes de pensamento e espíritos.

O ponto cantado de raiz (dado por uma verdadeira Entidade) não se limita a atuar em certas pessoas através de reflexo condicionado. É importante que entendamos que a música é uma combinação harmoniosa de sons. Como sabemos pela ciência oficial, todo som tem frequência peculiar, tendo cor e emitindo, atraindo ou dissipando certas energias. Além dos aspectos místicos, o ponto cantado movimenta a magia de Umbanda.

Segundo o caboclo Sr. Sete Espadas, em sua 2ª obra, Umbanda - o Elo Perdido, em relação aos pontos cantados:

Procure entoar os pontos cantados adequadamente, sentindo-os e não apenas cantando-os. Sinta-os em sua alma e verá, surpreso, como você canta bem, como você está bem. O ponto cantado é o caminho vibratório por onde "anda" a gira. É o verbo sagrado, portanto entoe-os adequadamente, harmoniosamente...

Os pontos cantados mudam de ritmo e mesmo de freqüência de acordo com as Linhas Espirituais:

  • Vibração Espiritual de Oxalá - os sons são místicos, predispondo à paz e às coisas do Espírito.
  • Vibração Espiritual de Ogum - os sons são vibrantes.
  • Vibração Espiritual de Oxossi - os sons são imitações da harmonia da natureza.
  • Vibração Espiritual de Xangô - os sons são graves, isto é, são cantados "baixo".
  • Vibração Espiritual de Yorimá - os sons são dolentes, melancólicos.
  • Vibração Espiritual de Yori - os sons são alegres, predispondo ao bom ânimo.
  • Vibração Espiritual de Yemanjá - os sons são suaves, predispondo à renovação afetiva emocional.

Como estamos observando, o ponto cantado possui uma função ímpar dentro do ritual de Umbanda, devendo ser-lhe dada a devida atenção, pois estamos movimentando forças das quais poucos conhecem a existência.

O Ponto Cantado têm sua primeira divisão como:

  • Ponto da tribo ou Clã
  • Ponto de trabalho

Em ambas subdivisões acima, os pontos podem novamente se subdividir em:

  1. Ponto de chamada
  2. Ponto de apresentação (ou identificação)
  3. O Ponto de apresentação pode ser dado, da mesma forma, de duas maneiras diferentes e aceitos como certos

    1. Ponto da tribo ou Clã
    2. Ponto de trabalho
  4. Ponto de falange
  5. Ponto cruzado
    1. Defumador
    2. Ordenação
    3. Mão-de-Faca
    4. Mão-de-Ofá
    5. Cruzamento de Pemba
    6. Batismo
    7. Confirmação
    8. Amacís
    9. Casamento
    10. Retirada de Vume
  6. Ponto de demanda
  7. Ponto de Maleime (pedido de perdão)
  8. Ponto de subida

IMPORTANTE

O Ponto Cantado, nunca deve ser interrompido no meio, principalmente por terceiras pessoas. Os comentários sobre o Ponto Riscado ou sobre a inconveniência do Ponto Cantado, deverão ser postas ou comentadas por quem de direito, após o término dos mesmos.

Baianos

Baianos

Ponto de Despedida

Boiadeiros

Boiadeiro Navizala

João Boiadeiro

Venâncio

Caboclas

Cablocla Jussara

Cabocla do Mar

CABOCLA GUARACYRA

Cabocla Iara

CABOCLA IRACEMA

Cabocla Jandira

Cabocla Jupira

Cabocla Jurema

Cabocla Sete Flecheira

Caboclos

Caboclo Akuan

Caboclo Arruda

Caboclo Cachoeira

Caboclo da Pedra Preta

Caboclo do Rio

Caboclo Pena Branca

Caboclo Rompe Mato

Caboclo Serra Negra

Caboclo Sete Cachoeiras

Caboclo Sete Estrelas

Caboclo Sete Montanhas

Caboclo Sete Pedreiras

Caboclo Ubirajara

Caboclo Ventania

Pontos de Despedida

Ciganas

Cigana Cartomante

Cigana Celoi

Cigana da Praia

Cigana do Pandeiro

Cigana Esmeralda

Ciganas

Ciganos

CIGANOS

Crianças

Pontos de Despedida

Guardião

Exu Caveira

Exu Mirim

Guardião Arranca-Toco

Guardião Capa Preta

Guardião do Lodo

Guardião dos Rios

Guardião dos Sete Cruzeiros

Guardião dos Ventos

Guardião Gira Mundo

Guardião Mangueira

Guardião Marabô

Guardião Meia Noite

Guardião Rei das Sete Encruzilhadas

Guardião Sete Capas

Guardião Sete Cruzes

Guardião Sete da Lira

Guardião Sete Sombras

Guardião Toco Preto

Guardião Tranca Ruas

Guardião Tranca Tudo

Guardião Veludo

Tata Caveira

Guardiãs

Pontos de Linha

Guardia da Calunga

Guardiã Gira Mundo

Guardiã Rosa Vermelha

Guardiã Sete Encruzilhadas

Guardiã Sete Saias

Maria Farrapo

Maria Mulambo

Maria Padilha

Pomba Gira Cigana das Matas

Rainha da Praia

Rainha Domitila

Malandros

Maria Navalha

ZÉ PILINTRA

Marinheiros

Martin Pescador

Ponto de Linha

Ponto de Despedida

Orixas

Canto de Oxum

Canto de Xangô

Canto de Yemanjá

Yansã

Pretos Velhos

Ponto de Linha

Pai Ambrósio

Pai Chico da Luz

Pai Jeremias

Pai João

Pai Joaquim de Angola

Pai Joaquim de Xangô

Pai Luiz de Xangô

Rei Congo

Tio Antonio

Umbanda

Hino da Umbanda

Abertura da Gira

Fechamento de Gira

Defumação

Referências

  • http://br.geocities.com/umbandaracional
Visitas
3492353